Nova York

Há pouco mais de um mês a nossa vida mudou.

Deixamos o Rio de Janeiro para viver em Nova York.

Não sabíamos ao certo o que esperar. Nem eu, nem ele conhecíamos a cidade.

Viemos sem grandes expectativas. Chegamos de coração aberto para o novo e conscientes dos riscos dessa aventura que ao mesmo tempo que nos enriquece nos impõe dificuldades diárias .

Os obstáculos são muitos. A língua falada com pressa e cheia de gírias. Os Nova Yorkinos estressados em ruas lotadas de turistas.

O tempo que esquenta, que esfria , que venta e que chove. A comida que não é nada saudável e muito gostosa.

Tem também a saudade da família que tá longe e a falta que  os amigos fazem nos passeios simples do dia a dia.

Sim, temos um ao outro! ️Mas as vezes a gente quer mesmo é sentar no bar com aquela galera que conhece a gente como ninguém e só jogar conversa fora.

Mesmo assim Nova York vicia. É uma cidade real sem romantismos.

Manhattan impera em ritmo veloz, as pessoas se esbarram com pressa, o metro é lotado e o trânsito segue absolutamente parado!

O barulho não engana... Nova York não dorme. Há sirenes de bombeiros, ambulâncias e buzinas 24h por dia.

São muitos sotaques , muitas nacionalidades muita pressa e muitos sonhos.

Há obras por todos os lados, andaimes cobrindo as calçadas e as eternas  reformas de fachadas de prédios compõe logo o tom da cidade: Marrom. Tudo aqui é marrom!

Nova York é absolutamente real....Cosmopolita, vibrante, dura e contagiante.

Te torna mais forte , mais focada , mais segura, muda a sua vida em dois tempos.

Viver por aqui  não é um conto de fadas. Exige preparo, disciplina e expertise. Vida real, Vida normal... que nunca é banal. Não há nada igual.

A cidade te consome até que  você se adapte ao ritmo dela.

Você estuda, trabalha , faz mercado, cuida da casa, da própria roupa e improvisa o jantar. O tempo voa enquanto você se adequa ao novo sistema.

Aqui não tem jeitinho, ou você devora Nova York ou é engolido por ela.

E a gente vai vencendo, todo dia , devagarinho... cada vez mais!

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2017-Todos os direitos reservados no EAD - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro