Apropriação ️

Quando foi que você se perdeu de si mesma? Quando foi que parou de se reconhecer no espelho?

Sempre há tempo para se apropriar das suas vontades, dos seus pensamentos, dos seus sentimentos, dos seus movimentos.

Se apropriar de si é tomar as rédeas do próprio destino.  É escolher seu próprio caminho, a forma como se quer viver, as pessoas com quem almeja conviver e a dosagem de energia gasta para cada batalha pessoal diária .

Por falar em batalhas: escolha as suas. Não dá pra brigar por tudo o tempo todo. Escolher pelo que vale a pena brigar é uma forma de se apropriar de si também!

Seja fiel aos seus princípios, seus valores, seus desejos mais profundos do conceito real de bem estar, plenitude e felicidade. 

Saia do ostracismo e identifique tudo aquilo que te faz bem . Aliás, o que de fato de faz bem?

Se conhecer ainda é o melhor caminho de gerenciar a própria trajetória, para ser dona da sua história.

Não deixe que ninguém dite a maneira como você tem que viver. Não se acomode. Não se conforme. Se enxergue por dentro....

Ao primeiro alerta interno de insatisfação, veja os sinais do seu corpo, ouça os sinais da sua mente. Dê atenção para a sua alma.

A única forma de ser feliz é fazendo as suas próprias regras...

Não se aprisione. Voe! A hora é agora. Seja lá o que isso quer dizer, não desista.

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2017-Todos os direitos reservados no EAD - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro