Casamento

Casamento

Tem amor

Tem amizade

Tem risada

E discussão

Lealdade

Parceria

Tanta entrega

E gratidão

Tem carinho

Tem chamego

União

E compaixão

Casamento

De verdade

Não se faz

Só com paixão

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2017-Todos os direitos reservados no EAD - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro

 

Gratidão

Gratidão

Agradecer...

 É um exercicio diário

A vida...

 Força um movimento contrário

Sem perceber...

Começamos a reclamar

Dificil mesmo...

 É quem não tem amor pra dar

Agradeça...

 A sua saúde

Ela é uma virtude

Agradeça...

O seu lar

 Você tem o seu lugar

Agradeça...

A todo instante

Sua vida...

É importante

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2017-Todos os direitos reservados no EAD - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro

Ausência

Ausência

 

Distancia física

Desencontro  emocional

 

Negligência implícita  

Presença banal

 

Relação vazia

Contratempo casual

 

Sentimento desatento

Sofrimento sem igual

 

 Silêncio que ecoa  

Não há cura e só faz mal

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2017-Todos os direitos reservados no EAD - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro

Antes

Antes

Antes de pedir,

Agradeça.

Antes de acusar

Reconheça.

Antes de cobrar,

Ofereça.

No seu caminhar,

Fortaleça.

Se for pra lutar,

Permaneça.

E se fraquejar,

Não se esqueça:

Que so o amor,

Prevaleça

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.

Indiferença

Indiferença

 

Te vejo perto,

Te sinto longe

Me entrego em tempo

Você se esconde

Eu me desperto

Mas você some

 

Te espero então

Ausência é dia

Em dada noite

Você surgia

Destino incerto

Só agonia

Entrega sua

Não existia

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.

 

 

De Repente

De repente

 

De repente os anos passam

A vida muda

Eu me descubro

Me reinvento

Dou tempo ao tempo

 

De repente a vida passa

Você não se reconhece

E por vezes não floresce

Já não somos mais os mesmos

 

De repente não dá tempo

Amargura, sofrimento

Só você tão desatento

Não ouviu o meu silêncio

 

Já é tarde pra nós dois

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

 

Ora Pois

Ora pois

 

Ora pois o seu olhar

Só julgava o meu sonhar

Pouco amor me dava ali

Não sabia não ferir

 

Era pura frustração

Pois não teve um coração

Para chamar só de seu

 

Ora pois seu caminhar

Só ouvia a vaidade

Que aumentava com a idade

De quem não envelheceu

 

Teu silêncio um tormento

Inconstante o sentimento

De quem pouco me apoiava

 

Nossa história não vingou

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

 

 

Dor e Arte

Dor e Arte

 

Transformo dor em arte

Enxergo belo o sofrimento

Me entrego à tristeza

Mas sempre a enfrento

 

Eu sei que dali

Renasce um talento

 

Relembro

Reescrevo

Em tempo

Aprendo

 

Enquanto a vida trouxer sentimento

Desafio é escolha

Coragem é momento

 

Vou transformar dor em arte atempo

De te fazer se orgulhar mais de mim.

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

 

 

Em partes

Em partes

 

Quando penso em nós dois

Parte de mim chora

A outra parte sorri

 

Quando lembro de nós dois

Parte de mim ignora

A outra parte espera

 

Quando falo de nós dois

Parte de mim implora

A outra parte já era

 

Quando sonho pra nós dois

Hora sou ressentimento

Hora sou constrangimento

De não ter compreendido

Que se nada foi vivido

Porque tanta mágoa e dor?

 

Te tive em partes

Não tive amor.

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

 

Florescendo

Florescendo

 

Perdoo você

Por não ter me acolhido

Por sequer ter me nutrido

Com o amor de quem cultiva

Esse mistério da vida

 

Onde a mágoa e a ferida

Se transforma em poesia

No trabalho a alegria

Na amizade a companhia

Na conquista a magia

 

Se alguém nãome amou

Vejo a dor fazendo arte

O amor fortalecendo

O perdão já florescendo

Em meio a certa solidão

De quem só queria amor

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

 

Casa Vazia

Casa vazia

 

Minha alma se cansa

Do silêncio que havia

Entre eu e você

Numa casa vazia

 

Te esperei por anos

Me anulei por vezes

Nesse teu desengano

Que sumia por meses

 

Eu ficava aguardando

Outra hora rezando

Onde estava você

Quando eu mais precisei

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

Comprometida

Comprometida

 

Comprometa-se a amar

Se doer

Irá passar

 

Se esquecer

Vai se encontrar

Se aprender

Irá somar

 

Sem receber

Muito dará

Se persistir

Só crescerá

 

Se pouco der

Não ganhará

Quem nunca amou

Precisa amar

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

Barulho

 Barulho

 Barulho de vida

De vento

De mato

De chuva

De papo

 Barulho de mar

Barulho do lar

Barulho de folha

De hora

E de escolha

 Barulho de beijo

De abraço

E de dengo

 Barulho de filho

De riso

De festa

De dia

 De noite

De longe

De perto

 Barulho do tempo

Barulho de amor

Barulho com cor

 Barulho é barulho

E tem lá seu valor

 Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

Silêncio

Silêncio

 

O Silêncio grita,

Alcança palavras que a voz não ousa falar

O silêncio grita,

Entrega no olhar a saudade que paira. 

O silêncio grita ,

Um sente a falta do outro ,

os dois sabem,

é o bastante.

O silêncio grita,

É o pedido de desculpas,

que ressurge no ar,

ambos entendem

O silêncio basta,

pq só ele sabe gritar,

e só nele se complementam.

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

 

Abraço

Abraço

 

No teu abraço

Eu me conserto

Me reencontro

Eu me desperto

 

No teu abraço

Me sinto viva

Me redescubro

Não há ferida

 

No teu abraço

Me sinto plena

Um tanto tola

Revejo a cena

 

No seu abraço

Eu fico forte

Sem inconstância

Eu tenho um norte

 

No seu abraço

Estou protegida

É dentro dele

Que enfrento a vida

 Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

Horas

Horas

 

Tenho horas de riso

Tenho horas de sono

 

Tenho horas de orgulho

Tenho horas de engano

 

Uma hora te odeio

Outra hora te amo

 

Certas horas me basto

Outras horas te chamo

 

Passo horas te ouvindo

Gasto horas contando

Os minutos incertos

Dos caminhos dispersos

E as vontades insanas

De estar com você

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

 

Razão

Razão

 

Não preciso ter razão

Prefiro ser a curva errada

 

Não preciso ter razão

Gosto de ser questionada

 

Não preciso ter razão

Melhor é ser desafiada

 

Não preciso ter razão

Desnecessário é ser julgada

 

Não preciso ter razão

Posso até ser rejeitada

 

Não preciso ter razão

O bom mesmo é ser amada

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

 

Um caso

Um caso

 

Basta te ver

Para esquecer os desencontros,

os desenganos,

as discussões

 

Basta te ouvir

E eu ignoro os desajustes,

os desprazeres

e os disparates

 

Basta abraçar

Para sentir seu despreparo,

o seu desprezo,

o seu descaso

 

Na despedida

Aqui estou

 Com meu desespero

Com meu descompasso

 

Ciclo vicioso

Amor doentio

Às vezes romântico

Às vezes viril

Ficou no passado

ou nunca existiu.

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 

 

Menina

Menina

 

Em tempo, já é dia de perdoar

O telefone que não tocou

O eu te amo que ele não falou

As histórias que ele mentiu

As desculpas que ele não pediu

 

Já é tempo de perdoar

Se ele não valorizou

Se ele não acreditou

Se ele não te abraçou

Se ele já te machucou

Perdoe

 

Pequena menina que linda mulher você se tornou

Nem mesmo as marcas do tempo á mudou

Doce, honesta corajosa e honrada

Supere essa mágoa, essa é sua jornada

 

Siga a diante e num sopro constante perdoe

Ele não sabe o que faz

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.