Ora pois

 

Ora pois o seu olhar

Só julgava o meu sonhar

Pouco amor me dava ali

Não sabia não ferir

 

Era pura frustração

Pois não teve um coração

Para chamar só de seu

 

Ora pois seu caminhar

Só ouvia a vaidade

Que aumentava com a idade

De quem não envelheceu

 

Teu silêncio um tormento

Inconstante o sentimento

De quem pouco me apoiava

 

Nossa história não vingou

 

Taynara Prado - Rio de Janeiro - 2016 - Todos os direitos reservados no EDA - Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.